Diferença entre o Mármore e o Granito

Do ponto de vista comercial, as rochas ornamentais e de revestimentos são basicamente divididas em granitos e mármores. Como granitos, enquadram-se, genericamente, as rochas silicáticas, com mineralogia principal definida a base de feldspato, mica e quartzo, enquanto os mármores englobam as rochas carbonáticas, com mineralogia predominante de calcita (CaC03) e dolomita CaMg (C03)2, em geral com predomínio da primeira.

As características físico-mecânicas das rochas ornamentais, bem com sua alterabilidade, estão diretamente relacionadas à sua composição mineralógica, textura e estruturas internas, que em síntese, definem sua melhor aplicação.

Os mármores pela sua própria natureza são rochas macias com dureza na escala Mohs de 3, pouco abrasivas, e de baixa resistência aos agentes intempéricos, e mais sensível ao ataque químico, com por exemplo, os produtos de limpeza (ácido). Aceitam com relativa facilidade os processos de desdobramento (beneficiamento). As variedades recristalizadas têm a vantagem de menor índice de porosidade e de absorção de água. Nos mármores, o padrão cromático é definido por minerais acessórios e impurezas, pois os constituintes principais (calcita e dolomita) são normalmente brancos.

Os granitos são rochas com textura determinada pela granulometria e hábito dos cristais, sendo a estrutura definida pela distribuição desses cristais. Composição, textura e estrutura representam assim parâmetros de grande importância para sua caracterização. Os granitos são rochas mais duras que os mármores com dureza na Escala Mohs entre 6 e 7.

O padrão cromático é o principal atributo considerado para qualificação comercial, tanto para os mármores, quanto para os granitos. De acordo com as características cromáticas, os materiais são enquadrados como clássicos, comuns, ou excepcionais. Os clássicos não sofrem influências de modismos, incluindo mármores vermelhos, brancos, amarelos e negros, bem como granitos brancos, verdes, negros e vermelhos. Os comuns de longo emprego em obras de revestimento abrangem mármores beges e acinzentados. Os materiais excepcionais são normalmente utilizados para peças isoladas e pequenos revestimentos, incluindo mármores azuis, violeta e verdes, além de granitos azuis, amarelados, multicores e pegmatíticos.

Para se distinguir um mármore de um granito, dois procedimentos simples são recomendados: os granitos não são riscados por canivetes, chaves ou pregos, como os mármores; e os mármores reagem a ataques do ácido clorídrico, efervescente tanto mais intensamente quanto maior o seu teor em calcita.

Relativamente aos mármores, os granitos pela sua grande diversidade estético-decorativa e, em geral, mais resistência às solicitações de uso, são muito mais utilizados, sendo empregados em uma gama maior de situações.


Rinaldo Melo – Engenheiro de minas.          

Janeiro de 2016.


Comentários (0)


Deixe um comentário