Rochas Ornamentais e de Revestimento

As rochas ornamentais e de revestimento, também designadas pedras naturais, são àquelas que de forma natural, podem ser extraídas em blocos, com possibilidade de desdobramento em chapas, com ou sem beneficiamento. Seus principais campos de aplicação incluem tanto peças isoladas, como esculturas, tampos e pés de mesa, balcões, lápides e arte funerária em geral, quanto edificações, destacando-se neste caso os revestimentos internos e externos de paredes, pisos, pilares, soleiras, colunas, dentre outros.

Como podemos observar, o conceito de rocha ornamental e de revestimento, é calcado em uma tecnologia de lavra e beneficiamento, conjugado a um campo particular de aplicações, tendo como requisitos básicos beleza estética, ou seja, homogeneização textural e estrutural e possuir características tecnológicas dentro dos padrões aceitáveis pelas normas técnicas.

A nomenclatura comercial, por sua vez tem como raiz padrões estéticos e decorativos sem qualquer vínculo com a natureza mineralógica da rocha.

Comercialmente, as rochas ornamentais e de revestimento, são definidas essencialmente à luz de duas principais categorias, que são os granitos e mármores, distinguidos com base na composição mineralógica. Os granitos abrangem as rochas formadas por minerais constituídos de silicatos, enquanto os mármores englobam as rochas carbonáticas. Devemos lembrar que outros tipos litológicos, como quartzitos, ardósias, etc., também têm suas importâncias nesse setor da mineração.

No Brasil, as rochas comercialmente classificadas como granitos correspondem a quase 60% do total produzido, enquanto os mármores correspondem a cerca de 20%.

As demais categorias, não menos importantes como quartzitos, ardósias, etc., cerca de 20%.

Relativamente aos mármores, os granitos pela sua grande diversidade estética, decorativa e em geral, maior resistências às solicitações de uso, são muito mais utilizados, sendo empregados em uma gama maior de situações.

 

 

Rinaldo Melo – Engenheiro de minas.          

Dezembro de 2015.